Professor de dois mil goleiros, Zetti defende Grohe e Vanderlei na seleção


Zetti com a camisa de sua academia de goleiros (Sergio Barzaghi/Gazet Press)
Foram quase 20 anos como goleiro e já são outros dez como professor, à frente da “Fechando o Gol”. Com o moral de quem trabalha há três décadas debaixo das traves, Zetti deu entrevista ao Blog para falar sobre seleção brasileira e Copa do Mundo. O campeão mundial de 1994 cornetou o fato de o Brasil ter um titular absoluto para o gol e disse que Marcelo Grohe, do Grêmio, e Vanderlei, do Santos, mereciam ao menos ser testados. No bate-papo por telefone, o agora comentarista de futebol também falou sobre o 10º aniversário de sua academia para goleiros, que já “formou” dois mil atletas, e revelou o plano de criar filiais. Zetti, inclusive, organizou um treino com 300 goleiros para este domingo, a fim de festejar a primeira década da “Fechando o Gol”.

BLOG: A seleção brasileira está bem servida de goleiros?
ZETTI: Acho que está bem servido, sim. Só penso que poderia haver uma disputa, sadia, pela posição de titular. O Brasil perde com essa falta de disputa, de já ter alguém titular. E desde a Copa da Alemanha é assim. Foi o Dida em 2006, depois o Júlio César em 2010 e 2014, agora o Alisson…

Acha que alguém poderia tirar o posto de titular do Alisson?
O Alisson é muito bom goleiro e tem potencial para ser titular, assim como o Ederson. É preciso sempre pensar na Copa que está chegando e na seguinte. Por exemplo: quem serão os goleiros brasileiros com mais ou menos 27 anos no Mundial de 2022? O Taffarel tem toda a capacidade para fazer esse trabalho diferenciado.

Quem seria seu terceiro goleiro?
Não vai acontecer, mas o Marcelo Grohe e o Vanderlei mereciam muito uma oportunidade. A comissão técnica teria, pelo menos, que ter visto esses dois atuando.

Apostaria que o Tite chamará o Cássio?
Certamente. Existe uma relação de confiança entre goleiro e técnico, além do que o Cássio também pode crescer durante a Copa.

Daqueles que você viu em ação, qual goleiro chamou mais atenção?
O Taffarel. Ele nem era dos mais altos, mas pegava demais. E sem frescura, jogando de maneira simples. Não tinha a necessidade de fazer uma ponte para defender. Era um cara que treinava muito forte. Sem contar a convivência com o ser humano, dono de um caráter espetacular.

E os goleiros de hoje, de maneira geral, agradam?
Tem uma coisa que me incomoda muito: não vejo mais firmeza em boa parte dos goleiros nos chutes de fora da área. Pode reparar: em vez de fazer a defesa, quase todos espalmam. Tirar a bola deveria ser o Plano B. A prioridade é defendê-la. Isso é ruim.

Mas, ao mesmo tempo, pega-se muito mais pênalti hoje. Por quê?
Porque os goleiros têm a possibilidade de se preparar muito melhor hoje do que antigamente. Quando eu queria ver como os jogadores batiam pênalti na minha época, tinha que ficar procurando no VHS. E aí rebobinava a fita para rever o lance. Hoje, por causa da tecnologia, está tudo na mão. Mas tem o outro lado: os atacantes precisam treinar mais.

Já pensou em abrir outras unidades da Fechando o Gol?
Está nos planos, sim. A gente vem amadurecendo essa ideia a partir de várias propostas que foram feitas. Hoje, estamos bem estruturados e já dá para sair ao mercado. Não fizemos antes porque a mercadoria é a nossa aula, o contato com os alunos… e eu preciso estar junto. Devemos inaugurar uma filial em breve dentro da própria cidade de São Paulo. Quem sabe mais para frente em outras cidades.

Por que decidiu montar uma academia para goleiros?
Eu era técnico em 2006 e fazia gestão de esporte na Faculdade São Marcos. Alguns amigos como o Fábio Melo sugeriram esse projeto. Ao mesmo tempo, muita gente me pedia uma oportunidade, dizia que gostaria de ver o filho treinando como goleiro. Inclusive o meu filho, então com 14 anos. E foi assim que começou.

A missão da Fechando o Gol é revelar goleiros para o futebol profissional?
Não apenas isso. Queríamos dar oportunidade para quem joga futebol amador. Para aqueles que querem manter a forma física… Nesses dez anos, já tivemos dois mil alunos com os mais diferentes perfis. Alguns estão jogando em clubes grandes, outros estão lá para treinar ao lado dos filhos… Um senhor está com a gente desde o começo. Ele tinha 64 anos e hoje está com 74.

A academia é rentável no ponto de vista financeiro?
Ela vive por si só e tem o giro dela. Estou nesse projeto com outros dois sócios, mas o legal é que nenhum de nós entrou no projeto por dinheiro, e sim porque curtimos a ideia de ajudar na evolução dos goleiros. Ver um menino chegar com 7 anos e estar pronto para jogar bem no gol com 10 é gratificante.

É verdade que você fará algo pelos preparadores de goleiro?
Sim, vai ter um curso nos dias 19 e 20 de maio exclusivo para preparadores de goleiro. A gente já tem essa ideia há algum tempo, até pelo conhecimento e metodologia desses dez anos formando goleiros. No período, também formamos preparadores: o Tales está no Palmeiras, o Edson passou pelo São Bernardo e pela Portuguesa… No curso, usaremos nossos alunos e o espaço da academia para formar novos preparadores de goleiro.

Fonte: https://esportes.yahoo.com/noticias/professor-de-dois-mil-goleiros-zetti-defende-grohe-e-vanderlei-na-selecao-153025008.html?hl=1&noRedirect=1

Obrigado por deixar registrado seu comentário, o Projeto Brasileirinho agradece e por favor sempre que desejar use este canal de comunicação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s